A VIDA NÃO É UMA LINHA RETA


Eu posso te dizer que estou bem. As músicas que ouvíamos já não me incomoda mais como antes na sua ausência, assim como os nossos lugares preferidos que agora consigo andar sem hesitar. A gente demora mas aprende, é verdade. Nem tudo que fica ou que vai chega a ser TUDO ou o FIM DE TUDO, na verdade a expectativa frustra muita coisa e o fato de saber lidar com isso nos desafia. 

Eu não me importo em falar de você, perdi o hábito, o costume e tudo graças a você que me ajudou com o tempo a não gastar palavras com quem não soma mais na nossa vida, engraçado né? Você era meu assunto preferido.

Hoje percebo que meu vocabulário foi renovado, tenho assuntos mais interessantes agora na roda de amigos, inclusive voltei a sair mais com eles, rir mais com eles e os domingos deixaram de ser vazios. É o que chamam de viver a vida.

Depois de tentar compreender o que nos levou a tudo isso, pude perceber que por mais fieis que sejamos aos nossos sentimentos, a reciprocidade precisa acontecer, embora algumas coisas não andem na mesma linha, é importante que as mãos sejam dadas para continuar a caminhada quando o propósito é a dois. Conosco não aconteceu o suficiente.

Mas eu sobrevivi. Corpo inteiro e coração reestruturado.
Sabe aquela música: “Se avexe não que amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada”?

Agora é assim, um dia por vez.
O lado bom do fim? Existe muito mais vida para viver.
A vida é linha reta amigo, o importante é não derrapar na curva.

ANNA OLIVEIRA.
Recifense, amante da tecnologia, leitura e MPB. Aspirante na escrita/poesia, uma menina mulher sempre em evolução, transcrevendo em palavras gritos oriundos do coração, deixando registros verídicos (ou não) nas entrelinhas. De braços e coação aberto para a vida e o amor.

Postar um comentário

My Instagram

Copyright © O amor é brega. Designed by OddThemes