Quando você partiu



Eu estou sem rumo desde o momento em que te vi sair da minha vida, fico jogado na minha cama a noite toda sentindo o frio que brota de dentro de mim junto com essa dor que nunca passa nem diminui, sempre fica latejando me lembrando que a culpa de você ter ido embora e toda minha.

Sempre que tento amortecer a saudade me perdendo em outros corpos vazios, acontece exatamente o contrário já que outros corpos não me aproximam do seu e eu te sinto mais longe toda vez que estou com alguém, ninguém sorri ou me toca da mesma forma.

Pode parecer fácil para as pessoas que ficam me dando conselhos sobre te esquecer já que não são elas que tem que contentar com essas existência miserável sentindo saudade o tempo todo.
Noite após noite em lugares onde eu nem mesmo tenho coragem de admitir; lá estou eu tentando ficar bêbado o suficiente pra conseguir passar mais uma madrugada naquela cama que já foi nossa e agora é só minha e mesmo que eu trocasse todo sangue do meu corpo por álcool não faria a mínima diferença por que nada é forte o suficiente pra tirar, apagar ou diminuir o que ainda resta de você em mim.

Não é apenas do prazer que eu sinto falta, na verdade ele é o menor dos meus problemas. Eu quero conversar sobre bobeiras e amenidades de novo e ouvir o som da sua risada quando te faço cocegas. Morder seu lábio quando sei que vai me beijar com a boca suja de chocolate e eu sempre te disse que isso era nojento.

Sinto falta de assistir as brigas matinais com a cafeteira e minha cara fechada por te pedir todo dia pra parar de sempre largar óculos em todo lugar e depois nunca saber onde está. O problemas é que eu fico voltando nessas pequenas coisas. Toda e qualquer vestígio seu me faz vibrar, por que minha mente se tornou um armário de lembranças nossas e a única coisa que ela não me deixa fazer é esquecer.

E mesmo que eu gaste todo o tempo restante tentando afastar você de cada parte minha, voltando sempre acompanhado de uma nova pessoa vazia sabendo que não vai fazer a mínima diferença, mesmo que acorde e durma bêbado como uma porta e comece a fingir que eu não sinto mais nada e diga em voz alta que agora nem mesmo penso você o todo tempo.
Eu sei a verdade, tudo, absolutamente tudo é saudade.


VITORIA LORDEIRO
Sou tímida ao extremo mesmo parecendo ser alguém extrovertido, Amo MPB (coleciono discos); não assisto televisão , nunca. Escrevo sempre tentando decifrar a alma masculina. Amo café, ler e ficar vendo receitinhas na internet.  Prefiro livros a festas. Amo comidas estranhas, quanto mais esquisita e nojenta mais eu gosto. Choro vendo ursinho Pooh e sempre torci para o Frajola.  .

Um comentário :

My Instagram

Copyright © O amor é brega. Designed by OddThemes