Follow Us @soratemplates

terça-feira, dezembro 19, 2017

A VIDA É FEITA DE ENCONTROS


Eu, com um cigarro aceso e uma taça e vinho.
Ele deitado nu na cama. 

Eu tento desenvolver as ideias para transcrever o que sinto, mas a verdade é que ele me fez sentir como eu nunca, jamais, esperaria sentir. Não agora. Eu me senti feliz. Bem agora, aqui, vivendo o que eu vivo e sentindo o que eu sinto. Pensando que seria impossível tirar a mente das coisas que me deixam triste. A gente se esquece que não pode perder tempo e que se algum contexto não parece favorável e se você já fez o que tinha para fazer, você apenas sai andando pra frente, sempre. Se move pro mundo se mover.


Ele levanta, vem ler o que eu to escrevendo, eu escondo o papel, me diz que eu tenho que parar e dar atenção a ele. Porque ele já tá com saudade e vontade, me faz cócegas algo que eu não gosto muito porque me apavora. Mas ele pode. Ele segue insistindo para eu largar a caneta, mas não dá.

Ele me inspira.

Eu larguei a caneta, fui pra cama. Fui dele, toda. Pela quarta vez nessa mesma noite, a gente fuma, bebe e come, volta pra cama. Joga, sorri, ri, vê filme. Filme chato, a gente para. E se toca, toca mais. E a gente fica molhado um do outro. Ele me fez esquecer, pelo menos por hora, me fez rir. Meu corpo no dele, sincronia inesperada, poesia, charme, leveza, alívio. 

A vida é sempre feita de encontros, e por mais que algum encontro em particular, não possa ser superado por outros, porque na verdade não pode mesmo. As pessoas de fato, não são substituíveis... 

Vou te contar com toda a sinceridade que tento ter e reproduzir sempre: há outros encontros, bons de diferentes formas, outros tamanhos, sabores e cheiros. A gente precisa se manter aberta, livre mesmo presa, se deixando flutuar por aí pra não acabar emaranhada em sentimentos que não podem ser vividos e por essa razão precisam ser deixados para trás.


Se é entrega o que eu precisava além de toda a que já era minha, você me dá de antemão, sem eu nem ao menos pedir, a sua.

"Toma!" 
"Sente." 

"Me sinta".


Você me diz sem precisar falar.
Um dia que pode ter mudado tudo ou pelo menos me lembrado que eu continuo sendo a pessoa mais viva que eu conheço e continuarei sendo.

ALINE VALLIM
Tenho 31 anos, escritora, professora de inglês, aquariana, feminista, blogueira e problematizadora, não necessariamente nessa ordem. Quero escrever e espalhar pelo mundo minhas linhas. Viciada em café e mate. Espero loucamente que a empatia salve o mundo e possamos de verdade, nos desfazer de tudo o que nos prende. E sejamos finalmente, livres. .

Nenhum comentário:

Postar um comentário