O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

QUEM DISSE QUE A GENTE PRECISA SE PERTENCER PARA PODER AMAR!



Eu estou aqui solta e você aí voando, por caminhos que não são os meus, que nem na próxima esquina esbarra com meus passos.

Nem todo esquecimento prometido na última conversa foi capaz de apagar as lembranças dos caminhos que traçamos juntos. Pouca coisa faz sentido perto de toda essa vontade que ainda mora em mim e me faz te querer mesmo que de longe. Por aqui ainda há a necessidade em te abraçar com a alma, te tocar com os olhos e sentir você vivendo em meu coração.

Sei que você pode sentir essas emoções que saem de mim e te encontram pelo vento, quando me olha ao longe e disfarça o olhar quando te encaro, fica claro que meu amor encontrou uma forma de te tocar. Você nem consegue disfarçar mais, descobri que esse é seu jeito de ficar sem jeito, não se culpe por isso, era previsto que seus caminhos fossem diferentes do meu...


Mas quem garante a rota do amor? Quem disse que precisa estar perto para amar?

Eu só te preciso em mim, aceso e quente como chama de fogueira, soltando faíscas pelo vento. Meu coração não precisa de rótulo para saber que ele é seu, a única necessidade que ele insiste em manter é te querendo aqui... Quieto, calado. Batendo por si ou por ti, vivendo nesse amor que escolheu ter. Você nunca me disse que eu seria sua, meu coração apenas concordou com o seu a viver despretensiosamente., mesmo que o compromisso não seja dito ou firmado. Tu me sente e eu te encontro aqui em lugares em mim antes vagos e agora cheio do teu querer. Para o amor (às vezes) isso basta.


Quem disse que a gente precisa pertencer para poder amar?


ANNA OLIVEIRA.
Recifense, amante da tecnologia, leitura e MPB. Aspirante na escrita/poesia, uma menina mulher sempre em evolução, transcrevendo em palavras gritos oriundos do coração, deixando registros verídicos (ou não) nas entrelinhas. De braços e coação aberto para a vida e o amor.

1 comentários: