O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

JÁ PAROU PARA PENSAR EM QUANTAS RELAÇÕES ACABAM POR FALTA DE CONVERSA?



Quando somos crianças, acreditamos que os amiguinhos estarão sempre conosco durante a nossa vida. Quando somos adolescentes, fazemos promessas de que nada vai mudar e que a amizade permanecerá igual mesmo quando o colégio acabar. Quando somos jovens, conhecemos alguns novos amigos na faculdade e/ou no trabalho. Alguns tornam-se grandes amigos, outros também são levados pelo tempo, assim como uma boa parte das amizades da infância e da adolescência. Okay, isso faz parte da vida. Tem gente que chega para ficar e gente que chega com data marcada para partir. Algumas relações se desfazem pela distância geográfica (embora existam muitas formas de contato hoje em dia, lá atrás não era assim), outras pela distância do afeto.

"Distância do afeto? Como assim?"

É isso mesmo. Já parou para pensar em quantas relações acabam pela falta de conversa, abraços e cuidados? Às vezes a distância vai acontecendo e a gente vai deixando, até quase nem lembrar mais que aquela pessoa fazia parte da nossa vida e que a gente poderia jurar que seria sempre assim. Não estou falando sobre as distâncias que acontecem por uma decepção... Ou talvez isso seja válido para elas também. Afinal, o diálogo tem o poder de mudar muita coisa. A demonstração de afeto e o reconhecimento do erro também. Somos humanos e falhamos. Às vezes magoamos até mesmo sem saber, em outras vezes nós que somos magoados em silêncio.

Aí, parando para pensar em tudo isso, chego a lamentar que as coisas não sejam como eram lá atrás. É claro que a rotina era outra, as responsabilidades de hoje são muitas e nem sempre temos tempo/disposição para sair e tomar um chopp com os amigos. Tem dias que a gente quer descansar, dormir... E dias que temos que estudar, trabalhar, cuidar da família. Mas sabe o que eu acho? A gente precisa dar um jeito de (re)ver os amigos de vez em quando. Precisa dar aquele abraço cheio de saudade, falar sobre as histórias divertidas do passado e relembrar os velhos tempos com o mesmo amor de sempre. Isso faz um bem danado para a gente e ainda nos faz perceber que, para a nossa sorte, algumas amizades permanecem em todas as fases da nossa vida (não sei você, mas eu morro de orgulho ao dizer que tenho amigos que estão há muito tempo comigo!).

Se tem alguma amizade que não permaneceu e que te deixa saudade, quem sabe não seja a hora para marcar um reencontro? Se está longe, que tal mandar uma mensagem?

Acredito que aquelas amiguinhas ou aqueles amiguinhos do colégio se sentirão gratos por isso. Talvez eles percebam que o tempo passou, mas aquela sensação boa de quando vocês estão juntos não. Por isso, mais uma vez eu peço: cuide bem das suas amizades. Ficou chateado (a)? Fale. Está sentindo saudades? Pergunte quando pode vê-lo (a). Não conseguiu estar presente em uma data importante? Combine de vê-lo (a) outro dia. E sempre, sempre que possível, mande um "oi" e pergunte como ele(a) está para que nunca se esqueça da importância que tem para você.


BEATRIZ ZANZINI.
Jornalista, escritora e filósofa de bar. Escrevo em uma tentativa de me descobrir e também de desvendar o mundo. E então percebi que, ao compartilhar minhas ideias e sentimentos, às vezes consigo ajudar não só a mim mesma, mas também outras pessoas que se identificam com as minhas vivências. Isso me traz uma inspiração ainda maior a cada dia.

0 comentários:

Postar um comentário