O amor é brega. E quem não é?

quinta-feira, 11 de maio de 2017

VAI CHEGAR O MOMENTO DE AMAR NOVAMENTE



Chegou em casa exausta, acordara tarde e isso já lhe fazia perder quase que metade do dia de trabalho.

Tirou a roupa molhada, sentou-se na poltrona e respirou fundo, aquele silêncio parecia lhe incomodar. Estava só. Não lembrava como era se sentir assim há anos...

Era o fim.

Ela tinha se dedicado ao amor, escolheu a dedo a quem ofertar seu coração e entre tantas escolhas agora não importava mais quem ganhou ou quem perdeu, acreditava que amar verdadeiramente sempre valia a pena.

Ela só não queria mendigar o amor de alguém, como já tinha feito em algumas outras vezes, deixou esse lance de mendigar algo lá no passado.

Levantou do seu aposento e preparou o banho, tinha se acostumado a misturar lágrimas com o banho na tentativa de evitar o sabor salgado chegando aos seus lábios. Se sentia perdida depois daquele término e precisava acreditar que tudo aquilo ia passar, mas como convencer um coração de que ele apenas foi feito para bater? Sim, essa era a teoria que tinha escolhido para se reerguer.

Parou em frente ao espelho e olhou a fundo a mulher que refletia naquela imagem, não se parecia em nada com aquela que desfrutou por anos um amor. Ele não mora mais em mim... O amor saiu pela porta da frente sem olhar para trás, levou consigo tudo que um dia disse ser meu, não deixou nem a poeira sobre o livro da cabeceira, só percebeu quando passou a mão rapidamente. Se deixou acomodar sobre algumas roupas espalhadas na cama enquanto pensava... O amor prometeu e não cumpriu, onde já se viu levar o amor que um dia nos uniu?!

Por si, descobriu que estar só requer estar em paz e que nem sempre estar em paz é estar a dois.

Depois de tantas quedas foi necessário se reerguer para que pudesse entender que esse tal amor que ela viveu, não foi aquele feito para durar, foi um amor para arquivar como experiência, precisou cair para entender que nem só de sonhos se vive.

Ela sabe que agora dói, mas que  logo logo vai agradecer por esse tal amor ter lhe virado as costas e ter lhe dado tempo, porque amar pelas beiradas não basta.

Mas ela não desiste...

Sobre o amor? Ainda tem espaço, seu coração caminha na imensidão sem piloto e sem direção.


                            
                                    Anna Oliveira       &         Andressa Leal

0 comentários:

Postar um comentário