O amor é brega. E quem não é?

sexta-feira, 12 de maio de 2017

GABRIEL


Você sente tanta dor, queria poder te ajudar.

Talvez você queira esquecer, mas não sabe nem por onde começar ou não se esforça tanto assim. Tudo isso é tão confuso... Só que parece que sua escolha é não sair de dentro desses muros altos demais, erguidos ao seu redor. Sei que está doendo muito, e ninguém quer sentir tanta dor esmagando o peito todo dia de manhã. E pode parecer que não, mas ainda me lembro de como essa dor é constante, parece que ela nunca vai embora. Não adianta fugir, ela vai te achar, de novo e de novo. Por que ela está dentro de você.

Talvez se eu segurar bem forte a sua mão, você sinta que estou do seu lado e que não importa o tempo que precisar levar e nem o caminho que escolher vou caminhar do seu lado. E quando houver espinhos ou ficar tudo difícil de mais a gente vai correr junto. Podemos passar a noite toda conversando baixinho quando você se sentir só de mais e não conseguir dormir. Não precisa se preocupar com que eu vou pensar, ou se em alguma hora quando acreditar que eu não estou olhando, derramar uma lagrima ou duas, quero muito que tudo isso saia de dentro de você. Queria poder pegar sua mão agora e correr pra qualquer lugar que talvez pudesse nos proteger do mundo. Dói muito quando imagino o quanto você foi forte e não tinha ninguém do seu lado pra te abraçar, pra dizer nas piores, mais frias e solitárias horas que tudo vai ficar bem. Você tentou aquecer seu corpo em outros, só que eles eram tão vazios e frios que, ao contrário do que queria, deixou que congelassem ainda mais seu coração e abandou sua alma no caminho.

Um dia atrás, lembrei quando me falou que comparava pessoas com quem te deixou tão machucado e isso me fez entender o quanto aquela pessoa que você amou te deixou feridas profundas, mas não entendo por que simplesmente, quando parece que tudo vai cicatrizar, você abre todas elas de novo. Se deixar, posso caminhar do seu lado e tentar achar a saída desse labirinto, dessa cidade em ruínas e fantasmas em que estamos perdidos. Mesmo que um de nós dois tropece ou queira desistir e gritar, em alguma hora o céu pode se abrir pra nós, ou se chegarmos em uma estrada de tijolos amarelos continuamos sem olhar pra trás. Esse lugar sombrio não precisa de você, nem essas pessoas de sorrisos forçados e mentes vazias.

Segura minha mão e vamos correr atrás do coelho com um relógio e perder algum tempo sentados olhando pra lugar nenhum como se pudéssemos ver coisas que ninguém mais vê. Sentir o sol aquecendo a pele depois de noites interináveis. Segura minha mão e corre comigo, deles do mundo, do tempo. Não quero nada de você, apenas nos curar do mundo do frio e solidão; pra quando voltarmos e eu olhar nos seus olhos não ver a mesma dor que também está aqui em mim.

VITORIA LORDEIRO
Sou tímida ao extremo mesmo parecendo ser alguém extrovertido, Amo MPB (coleciono discos); não assisto televisão , nunca. Escrevo sempre tentando decifrar a alma masculina. Amo café, ler e ficar vendo receitinhas na internet.  Prefiro livros a festas. Amo comidas estranhas, quanto mais esquisita e nojenta mais eu gosto. Choro vendo ursinho Pooh e sempre torci para o Frajola.  .

2 comentários: