O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 26 de abril de 2017

DESVIO 405



Desvio pela rua 405 e entro naquela avenida com um nome complicado que sempre está cheia de carros.
Desvio pela rua 405 e acabo caindo em uma cilada só porque desviando pela 405 eu desviaria do seu apartamento e desviaria da saudade de ficar na janela fumando cigarro e pensando em quantos amores existem em cada janelinha de cada prédio. 
Desviando pela 405, desviaria também do seu ego. Você se sente grande demais aí de cima, não é mesmo? 
Desvio pela 405 pra desviar da sensação de você me olhando lá de cima como se eu fosse uma formiguinha e não significasse nada pra você mesmo trabalhando duro pra isso.
Desviei por todos os porres que tomei e pelas inúmeras vezes que precisei voltar carregado pra casa.
Eu desviei, mas, mesmo que sem querer, eu ainda tento me encontrar em cada sinal vermelho. Em cada sinal seu.
Procuro por milhas e milhas tentando encontrar ao menos uma parte miúda de mim. 
Você já me quis de verdade ao menos uma vez?
Eu tento te ler só pra saber se existe algum resquício meu aí.
Será que você não percebeu as risadas extravagantes e o sorriso bobo sempre que você concluía qualquer frase?
Depois de desviar pela 405, passo em frente daquele bar detestável que sempre lota nas quartas feiras e ouço a sua risada ecoar na avenida.
Então começo a atribuir notas mentais repetidamente:
“Seu coração nunca pareceu um bom lugar pra mim.
Seu coração nunca pareceu um bom lar pra mim.
Seu coração até poderia ter sido um bom lugar pra mim.
Seu coração era o único lugar que eu queria que fosse um bom lugar pra mim.”
Desviei pela 405 porque não posso mais lhe trazer nos braços, suas desculpas já não tem abrigo aqui.
Não posso mais ficar parado aqui porque a sua rejeição pesa feito uma bigorna.
Eu não posso mais ficar se tudo que você precisa não tem aqui.
Não posso mais.
Desviei por todas as vezes que você avisou que quebraria meu coração, como se quebrar corações fosse uma habilidade extracurricular e você se orgulhasse disso.
Desviei pela 405 porque queria dirigir para o mais longe possível. Sentir menos saudade possível. Pensar em você o menos possível.
Você já me quis ao menos uma vez?
Só não se esqueça que com amor você tem tudo que precisar.
Com amor você também tem a mim e assim eu vou ter você e então eu vou ter tudo e nós teremos um ao outro.
Só que eu já não posso mais ficar aqui esperando você me amar.
Mas eu sigo com isso que restou. 
Porque quando eu me ancorei no teu peito, era pra sempre
Eu desviei pela 405 pra tentar nunca mais voltar


BRUNO FIGUEREDO
Poeta e Escritor. Capricorniano com ascendente em Paulo Leminski e lua em Tati Bernardi. Fã de ficção cientifica e de romances clichês. Dono do pseudônimo @sujeitoeu. Escrevo, mas escrevo sobre mim, e nem sempre sou só amor..

4 comentários:

  1. To chorando bastante, que lindooooooo

    ResponderExcluir
  2. Sou sua fã. Disso não tem como desviar. Texto incrível 💙

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha você é maravilhosaaaa
      Mega honra ter você lendo o que eu escrevo!

      Excluir