A GENTE SE DEVE O PRAZER DE SER FELIZ!



Já é tarde eu sei, tenho sentido essa sensação constantemente nos últimos anos, sinto isso uma vez por semana ou talvez todo dia, quando reparo que ainda falta tanta coisa pra fazer, tanto sonho pra conquistar e muito o que batalhar pra ser o que desde criancinha desejei.

É tanta mudança cotidiana, mal vejo as pessoas curtindo a rotina despreocupadamente. Tudo tão apressado!

A gente pode se acostumar com um novo emprego, uma nova casa, uma nova amizade e até um novo amor.

Pode se adaptar a inúmeras atividades antes desconhecidas,  e nosso modo de pensar é algo que também pode ser modificado.

O tempo continua passando, em nossas faces, rugas aparecendo, fios brancos em nossa cabeça e na barba do vendedor de jornal denotam o quanto nada está igual. Faz uma década ou mais que deixamos de ser as crianças da família e com isso os presentes pedidos ao Papai Noel se tornaram lembrancinhas singelas, que aquela tia que só vemos no Natal deu pra gente.

Mas você deve estar pensando o que quero dizer com essas coisas todas, não é mesmo?! Estou num fase muito auto-analítica e com isso, indissociavelmente, prendo o pensamento no passar das horas, no levar dos anos e na forma que somos: breves e perecíveis. Penso mais ainda na maneira que vivemos. Confesso que fazer essa análise pode prejudicar o aproveitamento da vida, afinal, só sendo muito capaz de reconhecer a razão de termos nascidos nesse mundo e não em marte, pra não imaginar os riscos que nos submetemos toda vez que deixamos de agradecer o que temos e somos, os momentos em que não fazemos o bem pros outros, quando cultivamos ódio, rancor, fomentamos inveja ou aspiramos o que não pode ser nosso.

Mas como iniciei esse texto, a gente pode se acostumar com um novo emprego, uma nova casa, uma nova amizade e até um novo amor, mas acho um desperdício de vida, passarmos por aqui sem conhecer a felicidade.

A gente se deve o prazer de ser feliz, não é certo ficar pra outra hora!

Essa vida tem que valer a pena, e sinceramente acho que todo mundo precisa conhecer de fato a felicidade.


JOANY TALON
Pra quem acredita em horóscopo é Canceriana, nascida em Araruama no dia 15 de julho de 1986, assistente social pela Universidade Federal Fluminense, e agraciada por Deus pelo dom de transformar em palavras tudo que sente, autora dos livros “Cotidiano & Seus Clichês” e “Intrínseco” e co-autora no livro “Pequenices Diárias”

0 comentários: