O amor é brega. E quem não é?

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

TÔ TE ESCREVENDO



Tô te escrevendo porque acabei de emprestar aquele livro que você me deu e que disse que jamais o emprestaria. Tô te escrevendo porque quando decidi emprestá-lo, eu imediatamente pensei “HAHA eu esqueci você” e exatamente agora eu tô ignorando o fato de ter sido super resistente e a pessoa praticamente ter implorado pelo livro.

Tô te escrevendo porque lembrei de você esses dias quando ouvi aquela música da Marisa Monte que você amava e acabei tentando sair pela porta errada do ônibus do mesmo jeito que você saiu da minha vida. Todo errado, meio perdido e bagunçado. Seguindo na direção oposta pra onde a minha bússola apontava.

Tô te escrevendo porque assisti um documentário sobre alienígenas e atribui toda a culpa pelo seu sumiço da minha vida a eles. Foi isso. Você foi abduzido. E eu não tenho o que fazer. Agora está tudo explicado. Ou pelo menos vai ficar explicado até eu assistir algum documentário que fale sobre moléculas que vibram tanto a ponto de sumir no espaço-tempo e eu começar a achar que você, agora, vive em uma realidade alternativa onde eu não estou.

Tô te escrevendo porque lembrei daquela carta que você deixou dizendo que eu mudei a sua vida mas que você precisava ir pra construir alguma coisa que eu não memorizei só porque achei que não me interessava nada seu que também não fosse meu. Sei que você acha egoísmo essa coisa de só amar inteiramente a pessoa enquanto ela está na sua vida... Mas é que eu não sei ser assim tão bom como você é.

Hoje, eu tô te escrevendo porque mesmo querendo que você fique aí, com a sua nova vida incrível e toda linda sem mim. Eu também quero que você volte. Quero mesmo. Quero que você volte e me ensine a não chorar a toa. Me ensina a sentir menos só pra também doer menos. Volta, e me ensina a ser mais como você pra eu amar a mim mesmo como você ama você e como eu também amo você. Me ensina a crescer e a viver, pra um dia talvez eu florescer assim como você. Vem e me tira dessa caixinha que meu mundo é, só pra eu parar de lamentar que meu mundo é vazio e apertado sem você. Volta, que eu aceito. Ou me leva, que eu vou.

Tô te escrevendo porque acabei de ouvir a sua risada e fui correndo abrir a porta.
Tô te escrevendo pra dizer que queria esquecer você.
Só que ainda não esqueci.



BRUNO FIGUEREDO
Poeta e Escritor. Capricorniano com ascendente em Paulo Leminski e lua em Tati Bernardi. Fã de ficção cientifica e de romances clichês. Dono do pseudônimo @sujeitoeu. Escrevo, mas escrevo sobre mim, e nem sempre sou só amor..

3 comentários: