O amor é brega. E quem não é?

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

SEU CORPO É O PAÍS DAS MARAVILHAS



Mais uma vez eu acordei no meio da madrugada. A culpa? Com certeza é todinha dela! Ela rebate, dizendo que não fez nada e que a culpa é minha por pensar de mais nela. Tá, pode até ser verdade, mas a culpa é dela e fim de papo. Não é uma reclamação, longe disso. É um agradecimento por toda a inspiração que ela me dá.

Um dia desses a gente estava conversando e eu lembrei que ela ama livros. Quando senta de frente pra sua estante, se sente a própria Alice no País das Maravilhas. Vai viajando em cada conto, em cada história. Abre, sente o cheiro do livro, a textura das páginas e vai relembrando de momentos e memórias.

Se for reparar bem, além dos cabelos dourados que eu adoro, principalmente quando fico enrolando eles nos dedos, ela tem muito da Alice e a gente já riu disso. Inclusive, tenho que registrar: que risada gostosa que ela tem! Maluquinha — e agora ela sabe que as melhores pessoas são assim.

Ela se identifica com a Alice por fugir do senso comum, porque não é uma história de princesa que fica esperando o príncipe no cavalo branco. É sobre uma menina tão linda quanto curiosa, que quer se aventurar no desconhecido, se divertir com o Chapeleiro e fumar a narguilé do Absolen.

Eu já falei que ela é toda perdida na vida, mas a própria Alice só conheceu o país das maravilhas porque também era assim, e foi no meio dessa perdição que eu me achei na bagunça dela, mesmo ela tendo me avisado 27 vezes que era problema e eu não arredando o pé, porque daqui eu não quero sair.

Ela tem mistério no olhar, doçura no falar e um abraço irresistível que não dá vontade de largar. O amor é tão contraditório que a cura para a claustrofobia é um abraço bem apertado. Vou te provar o quanto ela é incrível: pesquisa aí no youtube 'Your body is a wonderland', do John Mayer e você vai me entender. O corpo dela é o país das maravilhas e eu me perco nele facinho, facinho.

O texto ficou pronto, mas só mostrei agora, porque não queria que ela acordasse. Ela estava linda dormindo daquela forma tão gostosa... Ela abriu um olho, se esticou feito gata, mas continuou enrolada na coberta, porque o dia está preguiçoso igual a ela.

Agora sai dessa cama, menina. Ainda tem um milhão de maravilhas espalhadas por aí, mas só fazem sentido se você estiver aqui. Se John Mayer canta que o seu corpo é o país das maravilhas, eu digo que a tua alma tem a magia da Disney inteira!

Eu vou ficar aqui mais um pouco, encantado com essa vibe tão boa e verdadeira.



DIEGO HENRIQUE.
Prazer, Diego Henrique, 24 anos, Paulista e solteiro. Um aquariano na casa dos vinte, que brinca com as palavras e coloca os sentimentos na ponta dos dedos.

0 comentários:

Postar um comentário