O amor é brega. E quem não é?

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

EU QUERO FICAR ONDE CAIBO

joany-talon


De cabeça quente e um turbilhão de sentimentos no peito, precisei me convencer de que, às vezes , deixamos de caber em alguns espaços, diminuímos ou crescemos. Talvez o espaço tenha sido reduzido e isso, de algum jeito, faz com que a gente se incomode, o local que estávamos acostumados deixa de ser do nosso formato, entende?

Não há mal nenhum nisso, desde que haja sinceridade da nossa parte e mais ainda de quem nos abrigou. Não faz sentido vestir uma roupa, calçar um sapato ou dormir numa cama que não dão mais na gente. A gente precisa caber no tamanho certo, sem precisar cortar pontas ou pedaços, nos podar, nos encolher ou atrofiar, devemos nos manter inteiros sempre!

Claro que apesar de não ser errado, é super difícil enxergar isso. A gente se acostuma fácil com pessoas, jeitos e gostos, com manias, hábitos e cheiros. Sair desse lugar mexe com nosso apego, com a nossa memória e apresenta muitos medos. Sensações que já tínhamos esquecido que habitavam em nós.

Custe caro ou não, o melhor é sair de onde não combina mais. Desprender do número diferente e buscar o habitat certo. É essencial ter certeza de que a gente ali, naquele espaço, não está nem estreito e nem frouxo, que não incomodamos em nada, que usamos o mesmo fermento pra aumentar a massa e andamos juntos na mesma direção! Nunca é tarde demais, porque não dá pra viver com calos, com o desconforto de uma calça apertada ou com entalos na goela.

Todo mundo merece ser feliz e não vai ser num lugar que não é nosso que isso vai acontecer.

JOANY TALON.
Pra quem acredita em horóscopo é Canceriana, nascida em Araruama no dia 15 de julho de 1986, assistente social pela Universidade Federal Fluminense, e agraciada por Deus pelo dom de transformar em palavras tudo que sente, autora dos livros “Cotidiano & Seus Clichês” e “Intrínseco” e co-autora no livro “Pequenices Diárias”

0 comentários:

Postar um comentário