O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

DETALHES SOBRE NÓS



Sogra, porquê colocaste tanta perfeição em uma só mulher? Tem como não a amar? Ela sabe se desdobrar entre os cursos, trabalho, amigas, o cachorrinho e ainda me dá seu colo, faz planos, escuta meus sonhos e é aquela que sempre me impede de desistir. Não sei como ela dá conta de manter tantas redes sociais atualizadas, eu mal checo meu e-mail, mas ela é Twitter, Facebook, Instagram, Snapchat, Blog...

Se eu tenho ciúmes? Como eu poderia? Se ela me ganha com as frases que escreve, e com aquelas fotos que posta? Que o mundo veja, vibre e se apaixone por ela, porque eu sei que ela é só minha e isso me basta.

Sogra, me conta vai, a forma que tu fizeste o Flavinho jogaste fora né? Ele não é do tipo que me liga de minutos em minutos para saber o que é que eu estou fazendo, ele me dá espaço, respeita minhas manias, minhas TPM, confesso que até minha falta de romantismo. Ele não implica se hoje troquei a academia pelo Chopp com as amigas, e já se acostumou que para ele será sempre um x-tudo com acréscimo de bacon, e pra mim o santo sushi de todos os dias.

Como eu adoro vê-ela chegando toda arrumada só para me ver. É perfume, cabelo tão bem feito e o salto? Como é possível ela parar em cima daqueles fininhos centímetros sem desequilibrar? Ah! Eu me perco no sorriso, no cheiro e no abraço dela. E falo baixinho: “Amor vou te amarrotar.” E ela solta uma escandalosa risada e me responde: “E que graça teria você só me olhar? ”
Quero um abraço apertado, meu batom borrado e minha roupa exalando seu cheiro. Eu sei, eu sei, o segredo para conquistá-la é fazer com que ela sorria. Mas o que faço se toda vez que ela sorri eu me perco em sua felicidade e me rendo a seus encantos?

Adoro o calor do abraço dele, me sinto realmente em casa, me perco naqueles olhos que sempre que me fitam e me dão a certeza que jamais irei me perder, porque sempre iremos nos achar, adoro vê-lo malhar todo independente e se achando maravilhoso. Confesso para quem quiser ouvir, ele realmente é. Dá conta do trabalho, de arrumar minhas músicas preferidas e no final do dia sempre traz... Não, não são flores, ele sabe que não sou dessas mulherzices, ele traz meu chocolate preferido. “Ouro Branco né amor?“ “Sim Flavinho, você acertou novamente no sabor. ”

O que mais amo nela? Com toda certeza é a independência, essa garra que ela tem de sempre continuar, porque ela não tem medo de errar, e sabe que pode sempre novamente tentar. Eu sei que ela não depende de mim, e isso poderia assustar outros caras por aí, mas só de saber que ela está comigo porque não precisa, significa que se ela permanece é porque verdadeiramente nos pertencemos. O que esperar dela? Apenas reciprocidade, um beijo no meio da tarde destes que te tira a concentração e te deixa com cara de bobo.

Amo tudo nele, desde o cabelo bagunçado, a barba perfeitamente cortada até o sorriso de canto. E que não esqueçamos os defeitos, como ser palmeirense, fanático por Doritos e apaixonado por carros. É incrível como ele me coloca no mundo dele sem me dar a sensação de que eu perdi a minha identidade. Com ele não tenho medos, apenas planos e a certeza da veracidade do EU TE AMO.

Eu poderia pedir pra ela ser main menininha, ou falar menos besteiras, ou nunca gritar “porra e caralho” enquanto estivéssemos assistindo jogo no meio dos meus amigos, ou desejasse que fosse sempre ela que passasse mal depois da 3º cerveja, mas não, sou  eu, e eu confesso, não tem prazer maior do que ver meus amigos rindo por que sua namorada não te tirou deles, mas ela agregou valor, que ela faz sempre uma gostosura pra comerem nos finais de semana, e é péssima jogando truco porque ela sempre passa os sinais errados. Onde está o prazer nisso? Em saber que essa mulher incrivelmente maravilhosa que deixa todos babando é a dona do meu coração e me deixou ser do dela também; não meu amigo, eu não mudaria nada nela, porque senão eu a perderia.

Com ele quero um filho, um cachorro, um gato e um periquito, mas também quero ir para uma praia de nudismo, ficarmos bêbados em Cancun, e nos casarmos em um cassino em Vegas. Eu o quero em um domingo inteiro na minha cama, para fazer amor, para falar de amor, e até discutir só pelo prazer de depois fazermos as pazes com gosto de não te abandono nunca mais. Se eu sou feliz ao lado dela? Pode acrescentar loucamente apaixonado no final.

RÊ VIEIRA
Sul-mato-grossense, escorpiana, bacharel em Direito, mas viciada nas palavras, brinca de ser poeta e é rockeira de coração. Ela é uma mistura de intensidade com a voracidade de viver, é apaixonada por livros, pessoas legais, música e é louca por vinhos.

0 comentários:

Postar um comentário