O amor é brega. E quem não é?

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

CARTA PARA O AMOR QUE AINDA VAI CHEGAR

Leia ao som de Frejat - Segredos 

Eu tô te esperando chegar bem rápido destruindo tudo aqui em volta. Ou chegar bem de mansinho e sem pressa de partir. Seja lá como for; eu tô te esperando chegar.

Eu tô te esperando chegar e não precisa ser igual aos demais amores que amei, mas se não quiser ser diferente também não precisa. Pode ser daqueles de novela, não tem problema. Eu tô te esperando aqui no mesmo lugar, apesar da vida estar me movimentando muito rápido e de forma bem confusa nesses últimos dias.

Não precisa ser muito alto nem precisa ter cabelos lisos. Mas se os olhos forem castanhos e as mãos forem bonitas ou se arrumar o óculos com a ponta do dedo indicador e se quando sorrir revelar uma covinha nas bochechas: ótimo. Mas espero que goste de obras de artes e que encontre coisas bonitas em todos os lugares — inclusive aqui em mim.

Não precisa ser o maior amor do mundo nem o mais exagerado. Basta ser amor.

Eu tô te esperando chegar, mas não pra eu me apaixonar pelo seu corpo ou pelas suas roupas caras, que são tendências da moda. Talvez eu me apaixone pelo seu sorriso ou pelo jeito que você mexe no seu cabelo. Talvez eu me apaixone quando você citar uma frase do Leminski ou do Drummond, ou quando você me mostrar algum desabafo que você escreveu e salvou no bloco de notas do seu celular.

Eu tô te esperando chegar pra gente colocar a cabeça pra fora do carro e distribuir elogios pros pedestres numa tentativa de tentar fazer com que eles sintam tão felizes quanto a gente. Você não precisa gostar tanto assim de ler, mas se, de vez em quando, vasculhar os meus poemas sem eu saber, seria incrível.

Eu tô aqui, te esperando chegar pra que você queira me ver na segunda, na terça e quando a quarta-feira chegar: ainda esteja morrendo de saudade. Eu tô te esperando chegar pra gente amar bem — confesso que isso eu sei fazer com maestria.

Tô te esperando pra fazer meu coração se acelerar mais uma vez e pra fazer algo se explodir aqui dentro. Tô te esperando, pra ver comigo o pôr do sol e ficar encantado com a paleta de cores do entardecer.

Eu continuo aqui te esperando chegar, pra que todos os nossos beijos se pareçam com o primeiro, e que quando precisar partir que fique pelo menos um pouco triste. Mas eu tô aqui te esperando chegar. Não pra ser o suficiente. Porque suficiente é só suficiente. Eu tô te esperando pra ser cada dia mais e mais. Eu tô te esperando, pra você me fazer sentir vivo. Só promete que vai chegar logo e não esquece que tem muito aqui pra eu te entregar.

Eu tô te esperando chegar, espero que você também esteja esperando por mim.


BRUNO FIGUEREDO
Poeta e Escritor. Capricorniano com ascendente em Paulo Leminski e lua em Tati Bernardi. Fã de ficção cientifica e de romances clichês. Dono do pseudônimo @sujeitoeu. Escrevo, mas escrevo sobre mim, e nem sempre sou só amor..

0 comentários:

Postar um comentário