O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

SEJAMOS VERDADEIROS COM OS NOSSOS DESEJOS



E depois da meia noite, dos beijos, abraços, mandingas, ondas puladas, uvas ingeridas, orações e todos os ritos e manias do réveillon o que será que vai acontecer? Seus desejos de paz, de amor, de ganhar mais grana, de continuar no trabalho, de construir família ou pedir o divórcio de uma vez; tentar um esporte novo, iniciar a dieta e levar uma vida saudável! A maioria de nós tende a entrar nesse clima do fim de um ano e começo de outro pra que mudanças aconteçam, pra que planos se realizem; e fica tudo muito lindo nos primeiros dias que sucedem a queima de fogos que explode no céu enquanto humanos aguardavam ansiosamente a transição de um minuto pra outro serem diferentes, fazerem de tudo algo novo, como sempre! 

E o ano se rompeu, a virada aconteceu! Nós ainda somos os mesmos com a meta de que não, não podemos repetir erros do ano anterior e que nada melhor do que o 1º de janeiro pra irmos com o pé direito rumo ao inovador, ao melhor. Todo mundo renovado de fé e esperança num recém nascido que é obrigado a prometer ser surpreendente e superar o que acabara de morrer. Coitado do ano que chega, já vem cheio de responsabilidades, de remendos a fazer e feridas pra sarar, com carga horária preenchida de metas e objetivos a atingir!

Mas somos nós que temos que fazer tudo da melhor forma, e na tentativa de evoluirmos, não esquecer que podemos transformar cada um dos 365 dias um novo momento e uma boa oportunidade de capítulos felizes, histórias bonitas e menos tragédias do que os tempos passados. Precisamos praticar aquilo que desejamos, se desejamos paz, devemos ser paz pra quem cruzar nosso caminho, não ir de um xingamento leve à agressão física no engarrafamento de volta pra casa, se desejamos amor, não podemos viver com orgulho no peito. Amor é pra distribuir aos quatro cantos e a quem mais puder. A vida insiste em devolver aquilo que recebe da gente. Nossos atos necessariamente se obrigam a descrever quem somos, portanto! Sejamos verdadeiros com nossos desejos, e mais ainda com o que já fomos, somos e pretendemos ser.

JOANY TALON.
Pra quem acredita em horóscopo é Canceriana, nascida em Araruama no dia 15 de julho de 1986, assistente social pela Universidade Federal Fluminense, e agraciada por Deus pelo dom de transformar em palavras tudo que sente, autora dos livros “Cotidiano & Seus Clichês” e “Intrínseco” e co-autora no livro “Pequenices Diárias”

0 comentários:

Postar um comentário