O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

POR QUE VOCÊ SOLTOU A MINHA MÃO?



Pra falar a verdade eu ainda tô aqui, esperando que algo em você me faça não ir. Torcendo pra não ter sido tudo tão perecível, a ponto de não ver futuro numa coisa tão importante pra cada um de nós, ou seria só pra mim.

Tá certo que não estamos indo bem há alguns meses, que já não acha tanta graça nas minhas palhaçadas, que a roupa que uso pouco importa pra você, tanto quanto a que horas cheguei em casa essa noite. Eu não tenho passado muito bem do estômago e você também nem sabe disso. Minha mãe diz que é emocional e que eu preciso me cuidar. Não nos vemos há uma semana, você está sempre ocupado.

"Casais passam por crises", tento me convencer! Eu tenho passado os dias tentando te mostrar que ainda acredito que tudo pode mudar, mas não percebo isso da sua parte. Na real, não dá pra saber em que parte ainda me encaixo na sua vida. Eu ainda tenho algum espaço?!

Minha rotina tá parecendo tortura, confesso estar fazendo mais coisas do que aguento, do que preciso. Tudo é uma tentativa de suprimir algumas dores, alguns vazios e essa certeza de que nada está como antes, nada é como deveria. Não tô dizendo que é tudo culpa sua, eu falhei sim na nossa relação, mas tô tentando. Sempre busquei reparar meus erros, consertar os defeitos que me fariam alguém melhor.

Para e pensa, vai! Você também fraquejou, me magoou e se afastou. Mas eu não quero insistir em qualquer coisa que não seja amor, tá? Isso não é certo pra nenhum de nós, então achei digno abrir o jogo, colocar as cartas na mesa e saber de você, sobre seus sentimentos e o que fui ou ainda represento pra você.

Nesse tempo todo, o que será que criamos?! Cabe aqui uma cumplicidade, não acha? Nos conhecemos há tanto tempo, fomos parceiros e nos jogamos de mãos dadas. Só tenho o direito de saber o motivo de ter soltado a minha mão.

Não me deixe perdida no escuro, eu posso achar o caminho de volta sozinha, só tenho esperado suas palavras, mereço alguma. Independente de qualquer que seja sua explicação, eu te dou minha gratidão, afinal fomos felizes e eu to mais esperta pra vida, aprendi muito. Obrigada!


JOANY TALON.
Pra quem acredita em horóscopo é Canceriana, nascida em Araruama no dia 15 de julho de 1986, assistente social pela Universidade Federal Fluminense, e agraciada por Deus pelo dom de transformar em palavras tudo que sente, autora dos livros “Cotidiano & Seus Clichês” e “Intrínseco” e co-autora no livro “Pequenices Diárias”

1 comentários: