O amor é brega. E quem não é?

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

EU TE AMEI MAIS QUE TUDO, MOÇA BONITA


Eu te amei mais que tudo, mais que devia, mais até do que eu podia. Foram dias, noites, lágrimas e sorrisos compartilhados, muita descoberta envolvida e cada dia era mais legal que o outro. Mas, infelizmente, coisa boa não dura pra sempre, e Cássia Eller já dizia "que o pra sempre sempre acaba".

Eu amei cada pedacinho teu, dos que você mais amava até os que mais odiava. Eu amei até o seu dedinho do pé e cada fio de cabelo do seu corpo. Amei tanto que aprendi sobre paciência, humildade, companheirismo e amizade em doses homeopáticas e cavalares também. Dependia muito da nossa época, do contexto e do nosso humor.

Como eu amava rir com você. Rir de coisas bobas, dos vídeos semanais do Porta dos Fundos, das entrevistas e dos vídeos idiotas que a gente sabe de cabo a rabo. O bom de tudo isso é que eu aprendi a reconhecer cada parte importante da nossa história e de você que refletem no meu presente e certamente me acompanharão no futuro.

Por muito tempo me neguei ou recusei pensar sobre o que tinha de você em mim, mas hoje posso dizer numa boa que é bastante coisa. Você me ensinou coisas sobre mim mesmo que eu jamais poderia imaginar. Foi bom receber uns socos da realidade, na cara, graças às suas falas, reflexões e cocões na minha cabeça. Você sempre me incentivou a pensar, repensar e agir com racionalidade, o que me deixa muito grato.

Posso ter sido meio grosso quando tudo se desfez, mas era o luto. O luto e a despedida sofrida de alguém que não estaria mais ali, que estaria nas lembranças, perambulando pelos mesmos lugares e não mais ao alcance. E isso dói demais também, porque a vontade mesmo era de ir correndo pra porta do seu emprego, fazer uma serenata com sua música favorita e te pedir em casamento. Só que com que cara, que moral, que desculpa? Pra que eu ia te incomodar? Pra que eu ia fazer papel de ridículo enquanto cê parecia feliz e de boas sem mim?

Acontece que eu te amei e foi um amor bom. Espero que se lembre de mim com o mesmo carinho que me lembro de você. Fica bem na sua nova vida, porque eu finalmente consegui seguir a minha.

JU UMBELINO.
Mineira que escreve para mandar a ansiedade embora. Viciada em seriados, filmes e música. Ama quadrinhos e livros. Prefere ficar em casa do que ir pra balada.

1 comentários: