O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

SERTRALINA



A noite terminava com você fumando nua na cama.
Eu nunca gostei, mas fazia parte do enredo.
Eu esvaziava o cinzeiro e trazia água.
Você reclamava de alguém e eu concordava.
Nunca podia entrar no mérito, você sempre estava com a razão.
Contestações não eram permitidas.

Talvez pela nossa diferença de idade,
grau de maturidade, ou qualquer outra desculpa
eu permiti ser infeliz só para aprender.
Para ver de perto como é.
Para sentir os sintomas e não apresentar quadro de dor.
Saber como era ser alguém que eu jamais seria.

Após semanas que pareciam meses eu fiquei livre.

A desintoxicação doeu mais do que receber minha dose diária de culpa.
Por isso eu demorei tanto para fugir.
No fundo eu sentia que o tamanho do baque.
Você era o meu único vício.
Seu controle por horas me oferecia tanta paz
que até hoje me pergunto se ainda te amo.

Você foi o inferno em vida.
E há de existir alguma dose de doentia nisso,
porque apesar de tudo ainda sinto sua falta.



HELIARLY RIOS.
É um amante. De política, economia e futebol. É um apaixonado por F1 e NFL. Garante o pão de cada dia e um teto para descansar trabalhando como analista contábil. Seu único amor é escrever de forma irresponsável e livre de culpa. O resto são paixões.

0 comentários:

Postar um comentário