O amor é brega. E quem não é?

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

OBRIGADA POR NÓS



Obrigada por ter sido quem escancarou as portas e janelas da minha morada de afetos.
Chegou pé por pé, pisando lento e silencioso e foi abrindo frestas, até que a claridade do meu mundo quase me cegasse. Derrubou meus muros, retirou minha armadura. Compreendeu minha mudez dolorosa. Abriu meus olhos, apurou meus ouvidos para as delicadezas que jamais ouvira de outros.

Escancarou meu riso.
Me deu cor, me deu tom.
Me deu coragem. Me deu a mão, o colo, o ombro. Me deu olhos famintos de amor.
Arrepiou meu ventre, morando por horas e horas dentro de mim, sem me prender, sem me cansar, pulsando no mesmo compasso.

Calou palavras cortantes, dividiu o peso da bagagem até que eu mal notasse as marcas em meus ombros. Me descobriu em doses homeopáticas.
Me leu. Me pontuou. Me agradeceu por ser poesia. Ainda.
Fechou feridas, beijou lágrimas, não torceu o nariz para o sangue do meu corpo. Me ajudou a limpar o que ainda escorria da alma.

Me fez escolher todos os dias. Entre por quem e por quês, você.
Nos escolhemos nos encolhendo nos abraços, nos abrigando aninhados em um mundo grandioso que só cabe a nós dois.
Me fez escolher ficar. Morar. Namorar.
Reformar a morada.

Me fez ser sol, me fez ser sim.
Regou. Me fez planta viva. Me fez ter vontade de germinar flores com teu nome.
Me fez asas. Me fez fênix.
Me fez. Teu trajeto.
Minha glória.

E já nem lembro o que são janelas fechadas, portas trancadas, silêncio triste.
Já nem me lembro como era ter medo do toque - dos dedos - na alma.
Já nem lembro que cheiro tinha o sangue pisado por gente de alma que não ama.
Já nem lembro os nomes, as partidas,os motivos. Já nem lembro porque alguns foram alguma coisa durante um tempo e nem me importo mais pelas despedidas que nem sempre aconteceram.
Já nem sei como era a vida antes. Porque não era vida. Era espera.
E Agora já não é.

Eu já disse hoje que te amo?




ANA CAROLINA SOUZA.
Jornalista por indução do destino, são paulina por carma. Apaixonada por gatos, praia, livros, carnaval, coca cola e umas delícias a mais. Aquariana com ascendente em áries. Tia babona. Mulher forte e chorona. Menina boba, dessas que escreve para não explodir e ainda acredita no amor.

1 comentários:

  1. Com certeza esse é um daqueles texto que a gente queria muito ter conseguido escrever. Me vi em cada linha, me identifiquei com esse jeito bonito de falar de um amor leve, de um amor poesia.
    Que coisa linda poder ler algo assim, e poder sorrir, feliz e leve.

    ResponderExcluir