O amor é brega. E quem não é?

sábado, 10 de setembro de 2016

A CONDESCENDÊNCIA DAS PESSOAS COM CARAS ABUSIVOS


De acordo com o dicionário informal: condescendência (sf) atitude de uma pessoa que concorda com alguma coisa fazendo sentir que poderia recusar. Complacência, tolerância, transigência. Comportamento de quem acompanha, por medo ou por fraqueza, os preceitos do dever, da honra, da honestidade.

Que eu não era a pessoa ideal para ele, eu soube rapidamente. Caras fechadas, desconfiadas das minhas origens (sempre piores, sempre) e desconfiados das minhas intenções. Acontece que a minha intenção sempre foi ser feliz e não acho que isso seja impossível ou pedir demais em um relacionamento. Se dois não querem, que não fiquem juntos, mas o que acontece muitas vezes? O cara "não quer", enrola até onde consegue, quer transar sem compromisso e muitos até mentem falando que o relacionamento será retomado quando na verdade só queriam uma transa morna de 10 minutos - em que só o cara goza, geralmente.

Quando estamos em um relacionamento abusivo fica complicado perceber que o erro não é só nosso, porque é isso que um abusador faz. Ele nos entrega a culpa como um presente e pro resto do mundo diz: "alá, ela é louca", sendo que o resto do mundo, mesmo sabendo metade das merdas que ele faz, apenas ouve. Quem cala, consente. E se isso não é uma forma de compactuar com o abuso, me digam o que é, porque foi isso que eu vi ao longo de vários anos. E dói. Dói pra caramba se ver sozinha - porque ele te afasta das pessoas -, se achando horrível e culpada e nenhum filho de deus pode dizer: "calma, a culpa não é só sua. Vou dar um toque nele, não é possível que ele ache isso normal". Mas NINGUÉM faz isso.

"É inútil obter por piedade aquilo que desejamos por amor", disse Victor Hugo. Mas a verdade é que quando se está em um relacionamento abusivo, qualquer migalha de atenção é um mundo inteiro para quem quer amor e ser amada. A vida segue, o tempo passa, o ciclo de abusos não é quebrado e muitas vezes a pessoa tem a vida INTEIRA mudada por esse abuso constante. E sempre tem algum sábio e iluminado pra te falar: mude você já que ele não muda. Sempre disseram para mudar. Mudei. Mudei trinta e cinco vezes e NADA que eu fiz ajudou a melhorar a relação ou postura dele em relação a mim. Absolutamente nada. 

Sempre me aconselharam a esperar, a ficar calada, a ser omissa e eu nunca quis ser assim. A ele, ninguém aconselhou a ser mais tranquilo, mais humano, mais compreensível ou razoável, porque vamos combinar: homens agem assim mesmo, né? Mesmo as pessoas que abominam o "homens são assim mesmo", silenciosamente assinam embaixo disso, já que não podem aconselhar os próprios parentes e/ou amigos para quebrarem um ciclo de abuso ou pelo menos a serem menos babacas e não atrapalharem a outra pessoa.

E às vezes a gente muda tanto, mesmo sem querer, mesmo tolhendo traços da nossa personalidade que amamos muito um dia. E aí percebemos que nos tornamos o tipo de mulher que jamais imaginávamos nos tornar e as coisas ficam pesadas. Continuamos aceitando os abusos por pura falta de estrutura, por ouvir mil clichês e acreditar neles, assim como pela falta de apoio das pessoas também. Porque quando se está em uma relação abusiva (seja ela amorosa ou não), é muito difícil alguém que não tenha passado por algo parecido te apoie de alguma forma efetiva.

As mesmas pessoas que discutem teorias feministas, são pró mulher e o caramba a quatro simplesmente desaparecem e declaram não querer se envolver quando se trata de um amigo ou parente sendo abusivo. Muitos até perguntam qual a sua parcela de culpa nisso aí. Porque né, gente, o motivo do cara ser abusivo não é o caráter dele e sim o que a mulher "desperta" nele. Aí voltam os gênios a repetirem: "se ele não muda, mude você".

Então que não me venham com os papos desconstruidões quando ninguém pode dar pelo menos um toque em caras babacas quando eles fazem parte do próprio círculo social e familiar. Essa condescendência acaba gerando um ciclo de abusos infinitos, porque não é com a MULHER dizendo "olha lá, ele é abusivo" que o cara vai parar, A GENTE SABE que não funciona assim.

Quando se fala sobre relacionamentos abusivos, as pessoas geralmente pensam em homens sem instrução, aqueles broncos bêbados batendo nas mulheres, as humilhando e privando-as dos próprios direitos. É sempre bom lembrar que homens classe média/alta, com profissões respeitadíssimas, brancos e "super inteligentes" também são abusivos, tá? E muitos deles se acham super certos e no direito de foder com a vida e o psicológico de uma mulher porque quem vai impedi-los. Ao ouvir "não existe lei que me impeça de fazer isso", percebi como a condescendência alimenta o ego, a manipulação e a sensação de poder de um cara sobre outra mulher.

Todo mundo vê o processo de destruição da mulher em um relacionamento abusivo, mas quem ajuda de fato a quebrar esse ciclo?


JU UMBELINO.
Mineira que escreve para mandar a ansiedade embora. Viciada em seriados, filmes e música. Ama quadrinhos e livros. Prefere ficar em casa do que ir pra balada.

0 comentários:

Postar um comentário