O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

TE TROQUEI... POR MIM


Coloquei tudo na balança. Fiz gráficos, estatísticas, contei os pontos, apurei os fatos. Concluí. Você não compensa mais. O tédio que às vezes me bate quando fico de bobeira, é infinitamente menor e menos prejudicial ao pouco que você me oferece. Meus afetos guardados são muito mais valiosos do que quando os entrego de bandeja pra você.

A minha solidão tem até uma certa cor, mas desbota quando acordo no meio da noite ao teu lado, naquele silêncio torturador. Desculpa por ter demorado tanto pra partir, mas sabe como é né, estava tentando aprender a gostar em fragmentos pra caber na tua vida. Mas não vale a pena. Você , nem esse jeito feio de gostar que você tem.

E eu gosto de você de um jeito tão, mas tão bonito , que preciso te deixar sem esse afeto, pra que você tenha chances de viver do teu jeito, mesmo prevendo a dificuldade que você vai ter em encontrar outros olhos que te olhem como eu.

Não. Meu amor não é maior. Nem melhor. Mas era seu.

Troco a transpiração dos nossos corpos, por batidas mais amenas no meu peito. Troco o "eu te amo" parado na garganta por risos fáceis com gente que quer viver a vida do meu lado. Troco nossas conversas intimas por um pouco mais daquilo que acho que mereço. Te troco por sonhos possíveis, pelo desejo de ter afeto sem data marcada. Te troco pela liberdade de dizer como me sinto quando as coisas fogem dos planos e a frustração é humanamente aceita. Troco teu calor pelo sol que nunca foi cenário de nós dois. Troco nossa foto guardada no fundo da gaveta pela chance de estampar olhos apaixonados na estante do meu quarto quando o amor acontecer pra mim.

Troco seu nunca por esperanças, suas fechaduras por portas.Troco você por mim.

Troco de ares atrás de lares infinitos que existem em mim e que você não quis habitar. Troco o caminho de casa, troco limites por asas.

Troco de amor, porque amor não é troco.

Peço licença pra sair. E peço desculpas por ter ficado tanto tempo. Por ter tido fé que você acreditaria em mim, mesmo não acreditando em si mesmo. Peço desculpas por você e por mim. Pelo início e pelo tanto de sim que nos trouxe até aqui.

Mas agora sim, fim.



ANA CAROLINA SOUZA.
Jornalista por indução do destino, são paulina por carma. Apaixonada por gatos, praia, livros, carnaval, coca cola e umas delícias a mais. Aquariana com ascendente em áries. Tia babona. Mulher forte e chorona. Menina boba, dessas que escreve para não explodir e ainda acredita no amor.

2 comentários:

  1. Ai, Carol!
    Esse texto é aquele que machuca um pouquinho a gente. Às vezes é melhor partir e conservar o que foi bom, do que insistir e macular aquilo que era bonito.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa mais linda Carol! Aquele texto que vai lá no fundo e mexe com a gente, amei!

    ResponderExcluir