O amor é brega. E quem não é?

terça-feira, 23 de agosto de 2016

SE JOGUE NO AMOR



“O amor não é um jogo”. Isso já foi dito — e repetido — infinitas vezes e parece que mesmo assim as pessoas não entendem. As pessoas continuam fazendo do amor um simples jogo.

Começa tudo com um joguinho na hora da conquista, aquela coisa do “eu te quero, mas você que tem que correr atrás de mim”, e de pouco em pouco vai desenvolvendo pra um jogo muito maior, em que ninguém sai ganhando. O AMOR NÃO É JOGO!

Seja lá com qual jogo você deseje compará-lo — futebol, basquete, corrida de Fórmula 1 — apenas NÃO FAÇA ISSO.

Amor não tem regras, não tem competidores, não tem disputas; amor tem apenas pessoas. E pessoas que trazem em si sentimentos. Mesmo que tentem esconder, eles estão presentes. Mas as pessoas têm gostado de se mostrar sem sentimentos, tem fingido não sentir nada, quando dentro de si o mundo tem desabado.

Parece ser um mal da atualidade e suas tecnologias, que todo mundo fala sobre, mas ninguém muda. Vejo um mundo que reclama do jogo que as pessoas tem feito, mas que continuam repetindo o erro, sem saberem ao certo o por que. É um tal de demorar a responder a mensagem só porque o outro demorou, é não querer chamar o outro porque foi você mesmo que iniciou a ultima conversa. Aí eu pergunto: QUAL O PROBLEMA EM MOSTRAR INTERESSE???

Daniel Bovolento já disse e cito aqui “Quem ama mais sempre ganha porque se doa mais, vive mais, aceita melhor a paixão e/ou o amor que vem de dentro” e isso serve para qualquer momento da vida! Seja uma mudança nos rumos de sua vida, seja um novo corte de cabelo, ou seja mesmo no amor. Apenas não faça joguinho. Se jogue de corpo e alma, e se deixe envolver pelo momento.

Deu medo? Vai com medo! Se você não se arriscar, ninguém vai se arriscar por você, e a curiosidade de saber o desfecho vai te corroer por dentro. Não deixe que suas paranóias tomem conta de você, elas só vão te fazer andar em círculos, e se você quer ver sua vida seguindo em frente, já sabe né?! Paranóias não são um bom caminho.

Então se jogue, no escuro e sem amarras, pois somente assim você irá conseguir se livrar dos joguinhos alheios e amar por completo! Seja a si mesmo, seja a um certo alguém.


MARINA COUTO.
21 anos, estudante de Letras, forrozeira e apaixonada por palavras. Escrevo pra me sentir livre, não tenho destinatário certo, acho que assim fico mais desapegada e escrevo Com a alma. Gosto de escrever para as outras pessoas saberem que não estão sozinhas. Quem vai ser meu interlocutor? Quem ler decidirá se aceita ser ou não. Se você se identificar, é um novo interlocutor, escreverei pensando que não estou só. Escreverei pra nós

9 comentários:

  1. eu diria que o amor é uma queda livre. As vezes tem alguém lá para segurar, as vezes é só um tombo grande. O segredo está em saber aproveitar a queda, aproveitara a vista, sem se preocupar com o depois :)

    ameiii

    ResponderExcluir
  2. Eu também não consigo entender porque as pessoas simplesmente não vivem e curtem o sentimento. Eu não tenho saco para joguinhos e saio fora quando percebo que estão jogando comigo. As pessoas têm que entender que a vida não é um cassino/fliperama ou afins. Amei o texto, Mari!

    ResponderExcluir
  3. Eu também não consigo entender porque as pessoas simplesmente não vivem e curtem o sentimento. Eu não tenho saco para joguinhos e saio fora quando percebo que estão jogando comigo. As pessoas têm que entender que a vida não é um cassino/fliperama ou afins. Amei o texto, Mari!

    ResponderExcluir
  4. Adorei, Mari! Realmente amar não é um jogo e a grande maioria acha isso. Bom é quando você encontra alguém que vale a pena apostar todas as fichas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, e quando a gente encontra esse alguém, é só felicidade! <3

      Excluir
  5. Amor não é um jogo e você descreveu perfeitamente os motivos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Amor não é um jogo e você descreveu perfeitamente os motivos. Parabéns!

    ResponderExcluir