O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

5 PASSOS PARA VOCÊ DEIXAR DE SER TROUXA




Trouxa, tonta (o), boba (o), seja lá o que for, saia dessa! Apresento aqui cinco passos simples e introspectivos para você deixar de lado esse papel amarrotado de trouxa que tem feito.
Não se entusiasme, não vou ensinar ninguém a socar rostos ou dar pontapés, serei muito sutil.

1. PARE TUDO QUE ESTÁ FAZENDO!


O primeiro passo é apenas parar e se observar, pacientemente. A verdade é que nos iludimos com muitas coisas da vida e a principal é achar que nos conhecemos. Não sabemos nada a respeito de nós mesmos, por isso deixamos tantas coisas passarem. Empurramos problemas com a barriga e engolimos a seco ofensas, desaforos, calúnias, desrespeitos, e por aí vai.


2. VIGIE.


Mais precisamente se vigiar, dar conta de assimilar situações cotidianas e pesá-las. Com a dureza dos dias e a correria das horas, deixamos de lado a sensibilidade que carregamos e que não sabemos canalizar quando ela dá um sinal.


3. PONTUE SUA TRAJETÓRIA.

 

O terceiro passo é se perceber no mundo e nas relações, pontuar sua trajetória até o dado momento e se enxergar nela. Vez ou outra sentimos um vazio ordinário e intenso. E não é um vazio só, na maioria das vezes são vazios – no plural mesmo! –, lutos não vividos ou mal vividos que escondemos por não saber lidar. Por, exatamente, não se perceber como verdadeiramente se é. Esse terceiro passo é um exercício profundo, nele você pode descobrir a importância de viver e não se abafar.


4. AUTOCONHECIMENTO.


O quarto passo é se conhecer internamente, se reconhecer e planejar mudanças. Ele está totalmente relacionado ao terceiro – aqui todos os passos estão interligados –, sendo que um depende do outro pra acontecer. E esse passo concretiza o anterior, te faz um convite assim: Hey! Viva seu luto. Luto é pra ser vivido, sentido mesmo. Viver o luto sana a dor, o sofrimento, e o que fica é o aprendizado, o dia após o outro. Experimenta!


5. RESPEITE-SE.

 

O quinto passo, e não menos importante, é aprender a se respeitar, perceber seus limites e respirar fundo a cada pedaço de caminho trilhado, dando margem e relevância ao que te acrescenta. Ouviu e não gostou? Releve. Abstraia. Finja surdez, cegueira e emudeça.

A vida é feita de perdas, idas, vindas, abraços, despedidas, sorrisos e lágrimas.


Ser trouxa não é apenas ser a (o) otária (o) da vez. No meu ponto de vista, ser trouxa é não saber de si, não conhecer seus próprios limites e não saber se posicionar diante de qualquer obstáculo ou adversidade que a vida nos atira no colo e na cara! E mais, é querer se encaixar sempre, querer se enquadrar em padrões que em nada combinam com a vida que se leva. Tudo por aparência, pra inglês ver. Isso é o mesmo que jogar poeira debaixo do tapete.

Agora deixa de ser trouxa e vai se descobrir!

The Voice excited yes christina aguilera yay


ANA NUNES.
Psicóloga, escritora, mãe, autora do livro Um tanto de coisas. Cacheada, baiana e dona de beijos inteiros! Ama quando as palavras a alcançam e, principalmente, quando convidam a alma de outro alguém pra um abraço coletivo! Acredita que o sorriso transforma qualquer dia amargo em barra de chocolate, e que somente ele pode determinar o rumo do seu dia.

2 comentários:

  1. Os gifs com certeza se destacaram. kkkkkkkkkkkkk
    Casaram muuuuito bem com os passos.
    Muuito bom!

    ResponderExcluir
  2. HAHAHHAHAHAHAHA. Vou deixar de ser trouxa, amiga. Principalmente porque não quero virar um gif desses. Muito bom! Quem não é ou foi trouxa que atire a primeira pedra hahahaha.

    ResponderExcluir