O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 13 de julho de 2016

NÃO QUERO NINGUÉM, MEU BEM!



Feliz aquela que nos dias atuais, onde a maioria das pessoas que nos rodeiam exige que estejamos sempre com alguém no pensamento ou coração, não quer se ocupar com qualquer pessoa além de si mesma. Aquela que, independente de ouvir, por onde quer que vá, algum ser perguntando de um namorado, casinho qualquer, e até casamento, sabe dizer que não quer ninguém, e está tudo bem! 

Quanta expectativa!!! Calma aí, gente! O mundo tem muitas outras coisas pra gente fazer além de se relacionar, arranjar um amor, beijar bocas e ficar esperando um romance cheio de mensagens apaixonadas, "crisezinhas" de ciúmes ou o plano de uma viagem no verão.

É, confesso que anda complicado demais quando a pessoa é considerada um quadrado no meio de tantos círculos, simplesmente por preferir a própria companhia, sem se obrigar a ficar sempre indo de uma relação à outra pelo receio de não ser uma solteira feliz. Parece que todo mundo já nasce com um par feito meia sabe?! Mas creiam, essa coisa de ir a praia, cinema, viajar por exemplo pode ser bem produtivo, sábio, satisfatório e isento de decepções em muitos casos quando estamos sós.

As pessoas se espantam quando falamos na night, festinhas, ou nas reuniões de família a frase que intitula esse texto "Não quero ninguém, meu bem!", e porque não pode ser normal a gente gostar de se amar sem ter que ao mesmo tempo estar amando alguém?!

A gente se poupa de sofrer por afobação, imaturidade e até mesmo por idealizar o que não dá pra ser realizado por determinadas pessoas que de repente na hora errada cruzam nossa estrada.

Feliz daquela que não liga pros comentários, para as perguntas com esperadas respostas e segue acompanhada de si própria, sem deixar de esperar pelo amor, só que sem pressa, sem urgência, sem imposição. Sempre respeitando a vontade do curado coração!



JOANY TALON.
Pra quem acredita em horóscopo é Canceriana, nascida em Araruama no dia 15 de julho de 1986, assistente social pela Universidade Federal Fluminense, e agraciada por Deus pelo dom de transformar em palavras tudo que sente, autora dos livros “Cotidiano & Seus Clichês” e “Intrínseco” e co-autora no livro “Pequenices Diárias”

3 comentários:

  1. Excelente texto Joany. Parabéns pela maestria em que explanou o tema.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito e imprimi, como favorito. Pra sempre reler quando bater aquela encheção de saco dos outros por eu estar me sentindo bem sozinha. Obrigada :)

    ResponderExcluir