O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 20 de junho de 2016

UM ENCONTRO DE ALMAS


Jurei que não amaria novamente, mas um encontro de almas mudou tudo, te encontrar mudou minha vida da água para o vinho, de uma simples carona para deliciosas noites de amor, de um simples aperto de mão para afagos no coração. Minha mente pedia um pouco mais de calma, o meu coração parecia não ouvir. Senti um misto de medo e euforia, grilos na mente e borboletas no estômago.

Como quem não quer nada, eu exalei novamente o que já não sentia mais ou que por um momento eu ocultei. E eu não podia ocultar de novo, eu não podia deixar que o meu passado viesse à tona, me jogasse na lona e me desse um nocaute. Não, não era justo comigo, não era justo com você, eu não depositar em você os meus traumas, não era justo te culpar pelos erros dos outros.

Eu não podia atropelar o meu destino, vê-lo passar por mim “sorrindo” e enxergar mais uma vez a solidão pra mim se exibindo. E não fiz, assumi as rédeas, era nosso o papel principal. Era o nosso encontro de almas, provando o quanto é linda esse viagem de embarcar nas mesmas sensações e de sentir conexões surpreendentes.

Eu contava os segundos, os minutos, as horas para te ver, o meu coração palpitava vigorosamente. Te encontrar era desembarcar no cais da tua alma, era quebrar todas as juras feitas, fazer novas juras, olhar para frente e enxergar infinitas noites ao teu lado, bebendo deliciosas doses de vinho. Era dançar no mesmo compasso, ao som Engenheiros do Hawaii, Zé Ramalho e Zeca Baleiro, era sentir na pele os toques, os arrepios causados pelas palavras, ver os olhares que se cruzavam avidamente.

Te encontrar era lavar minha alma, eu ia nua, livre de qualquer amarra, livre de qualquer medo e angústia. Ia transparente, sem ter hora pra voltar, disposta a viver tudo que a vida me proporcionava. Te encontrar com um sorriso leve, sem pressa e sem preocupação era um ponto de equilíbrio.

Com você aprendi a ter mais calma, aprendi a ser mais otimista, aprendi a dar as mais lindas e loucas gargalhadas, aprendi a não ligar para o que não me acrescenta. Aprendi a tomar banho frio e aprendi a cuidar mais de mim, a dar mais valor para a vida que tenho. Ao te encontrar somos rios que se encontram, mares que transbordam, somos longos encontros de almas, almas ligadas numa “Perfeita Simetria”, somos olhares que falam, que transparecem todos os desejos.

Temos vivido momentos inesquecíveis, temos aproveitado imensamente, temos amado loucamente. O tempo com toda sua sabedoria tem deixado nossa ligação de almas permanecer. Ainda que novos ventos soprem e que mudanças aconteçam, essa ligação ficará gravada em mim, como prova das sensações, das magias, dos encantos mais lindos que já vivi.

KAL LIMA
Poetisa, uma baiana com a alma no mundo e os pés em um rincão incrustado no Sertão. Sou uma garota-mulher apaixonada pelos encantos que o amor traz. Falo muito, sinto muito, nas palavras encontro o meu cais, é o meu jeito de transbordar.


*Fonte da imagem*

0 comentários:

Postar um comentário