O amor é brega. E quem não é?

sexta-feira, 13 de maio de 2016

ERA PRA SER VOCÊ


Eu me convenci que era pra ser você. Não importa o desfecho. Se vamos dividir a vida por anos a fio ou se vamos apenas tomar um café na estação, todas as vezes que a necessidade de esbarrar no seu sorriso me fizer perder a razão, e te convidar pra rir por aí. Pode até ser que a gente escreva uma nova história, sem aqueles clichês que a gente tanto decora, vai saber. O tempo vai passando e as certezas vão preenchendo os espaços em branco.

Às vezes tenho a sensação que você é a resposta para todas as preces que fiz, é como se você soubesse traduzir os meus medos e me acalmasse antes mesmo de eu mencioná-los. Você decora as entonações da voz, sabe compreender os meus gestos e se diverte com as minhas manias estranhas. Você chega me abraçando e automaticamente varre pra longe qualquer dúvida. É como se você encaixasse todos os meus questionamentos de uma só vez. Era pra ser você.

Talvez o tempo tenha encurtado demais o encontro ou talvez tenha faltado percepção. Talvez a vida esteja certa e você só tenha vindo pra me colorir em amor algumas boas estações. Não sei. Mas sei que quando estou com você me sinto melhor. Não enfraqueço diante das dificuldades e não desisto de seguir. É como se você fosse combustível pra todos os meus sonhos, e devo confessar que não seria má ideia continuar segurando a sua mão quando a vida seguisse apressada por aí a fora. Eu quero contornar o seu sorriso, quero ser motivos para muitos deles, que isso inclua sorvete de flocos na ponta do nariz e brigadeiro de colher nas noites frias de inverno. Quero esquecer que você vai embora na manhã seguinte e que logo depois a saudade vai calejar o peito outra vez.

Era pra ser você o antídoto daquele passado nebuloso que ainda me fazia andar pra trás. O despertador das borboletas preguiçosas. Foi você quem me beliscou e ainda me fez sonhar acordada, foi você quem me resgatou quando eu dei motivos de sobra para ir sem olhar pra trás. Foi você quem me encorajou a fechar os olhos e embarcar outra vez. Foi você. Era pra ser você. Mesmo que a gente não contemple todos os pores do sol, que meu colo não seja sempre o seu refúgio, que meus abraços não possam sempre te alcançar. Era pra ser você. Mesmo que a gente continue se perdendo e se encontrando no mesmo sorriso, na mesma letra ou na mesma frase.

Vai ser sempre você. A memória fresca que o coração aquece e vive em silêncio.

0 comentários:

Postar um comentário