O amor é brega. E quem não é?

sexta-feira, 1 de abril de 2016

PRIMEIRA TEMPORADA DE LOVE, SERIADO DA NETFLIX

Foto: Omelete
A nova série, que retrata relacionamentos, se chama Love e é apadrinhada por ninguém menos que Judd Apatow. Conhecido por ter feito comédias bem sucedidas como Ligeiramente Grávidos, Bem Vindo aos 40, Descompensada e O Virgem de 40 Anos, Love não foge muito do padrão desses filmes: retrata a vida de pessoas, mais ou menos da década de 80/90, que enfrentam questões existenciais. Ah, e as boas referências não falham. Lesley Arfin é co-produtora da série, junto a Apatow, seu marido.
A história começa quando Gus (Paul Rust de Eu te amo, Beth Cooper) está com o ego bem ferido e superando o fim de um relacionamento sólido. Vale ressaltar que ele é o típico nerd bem certinho e com alguma dificuldade de se relacionar com pessoas. Mickey (Gillian Jacobs de Community) também está se recuperando de um relacionamento extremamente conturbado. Ela é uma mulher bem despachada, com alguns problemas com álcool e drogas, e nitidamente bem diferente de Gus. Ele é um professor particular de atores adolescentes de um seriado de Bruxaria e mora sozinho. Mickey é produtora em um programa de rádio e divide apartamento com uma australiana super divertida. Mas eles acabam se conhecendo em uma loja de conveniência e passam a se encontrar no cenário de Los Angeles.
É engraçado perceber como é difícil para os personagens chegarem a alguma solução em relação a própria vida ou aos problemas que enfrentam. É como se o sofrimento deles fosse praticamente eterno, o que de trágico passa para o cômico. É o tipo de série que você aponta para a tela e diz: "ei, isso já aconteceu comigo!".
Meu problema com o Gus é que ele aparentemente pula de mulher em mulher a medida que "melhores opções" aparecem. E dá pra ver isso nitidamente quando ele ignora Mickey, o que pra mim foi a coisa chata da série. Mulheres que viveram essa situação provavelmente reviram os olhos quando vêem o comportamento de Gus.
O elenco de apoio presenteia com ótimas cenas, inclusive com Brett Gelman (Go On) arrasando. A trilha sonora merece destaque, possui músicas bem bacanas, principalmente nos últimos episódios!
A série tem seus momentos e consegue ser divertida. Mas se for pra comparar a outras produções da Netflix como Jessica Jones, Narcos, House of Cards e Demolidor, Love não seria a de maior destaque.

Confira o trailer:

0 comentários:

Postar um comentário