O amor é brega. E quem não é?

quarta-feira, 20 de abril de 2016

A SAUDADE QUE EU NÃO ESCOLHI.



É difícil perder. Sabemos que sentir uma derrota é algo totalmente desagradável, porém nos resta sempre levantar e seguir em frente, mas e quando a vida nos "obriga" a viver com a perda, com a falta? Temos em nossa vida sempre coisas a perder e a ganhar, emprego, carro, amigos, namoros... Pessoas. Hoje você pode ter alguém e amanhã não ter mais por uma briga, um desentendimento, que até pode ser sanado depois, mas por orgulho você não faz.

Nessas horas esquecemos que pessoas não são objetos que podemos substituir, podemos perder pra sempre. Qualquer pessoa que tenha importância na tua vida merece reconhecimento de afeto, a vida nos leva a diversos patamares e nunca sabemos como sairemos daquela fase, vitoriosos ou derrotados. A vida te coloca em caminhos de perdas quando leva alguém PRA SEMPRE da sua vida e só aí é que você vai parar pra pensar no que poderia ter sido diferente. Aquela ligação pra ouvir o som da voz, aquela saudade apertando a garganta, querendo gritar um "estou com saudades, sinto sua falta" que você preferiu não fazer.

É, meu caro, as perdas que acontecem na tua vida não tem preço, nos perdemos sem saber por onde nos deixamos levar. Por quantas e quantas vezes você ficou esperando um abraço de alguém, que não está mais aqui, e sentiu o vazio ser maior que você? Por diversas vezes você deve ter sentido falta de olhar o celular e ver inúmeras ligações não atendidas do seu Pai ou da sua Mãe, que na época pra você era um saco e hoje seria a melhor ligação que você poderia receber. Sim, a vida passa e passa num piscar, pessoas vem e vão e você ainda as deixa ir sem saber realmente o que elas significam pra você.

Nos perdemos quando sentimos sem dizer, nos perdemos quando tudo se vai e ninguém avisa que aquele momento era o fim. Quantas perdas assim você ainda quer colecionar? Tenho no peito uma perda fraternal que carrego marcas desde 1997 e a cada lembrança do passado, sinto a saudade me ganhando fortemente. Eu não desejei essa saudade, eu não quis essa despedida, mas a vida cumpriu o seu ciclo e levou um irmão, um amigo, uma alma de grande importância. Por mais que a saudade tenha sido tão companheira por todos esses anos, eu tenho orgulho de ter aprendido com ele a respeitar o próximo, me ensinando que devemos respeitar as pessoas mesmo estando certo ou errado. O cuidado que ele tinha era que eu crescesse e ele pudesse dançar uma valsa de 15 anos comigo - o que não aconteceu, o perdi aos 12 anos -, e quando ele me fazia ser a pessoa mais importante pra ele rodeada de amor, aprendi que o amor nascia sempre em pequenos gestos vindo dele.

A vida não me deu chance de despedidas, levou de mim meu irmão numa rasteira que nem a poeira do tempo pode baixar. Perdi precocemente para a vida... Deixamos coisas importantes para depois por acreditar que teremos sempre o depois, mesmo sem segurança. Sabe aquela mensagem que você recebeu, visualizou e deixou para responder depois? Ela pode não ter o mesmo sentido quando estiver programada no seu depois. Portanto, valorize as coisas humanas. Pessoas preferem um abraço teu do que um emoji de coração, afinal pelo abraço dá pra sentir que o teu coração é real. Bate e pulsa, se faz presente, se faz acessível... 

0 comentários:

Postar um comentário