O amor é brega. E quem não é?

quinta-feira, 10 de março de 2016

PRA QUE FALAR MAIS?


Eu não precisava dizer "eu te amo". Bastava te olhar de um jeito único que você prontamente sorria e respondia: "eu também te amo". Nossa cumplicidade era incrível, poucas palavras, pequenos gestos e logo nos entendíamos. Parecia coisa combinada, mas entre nós a única coisa combinada era nossos corações e olhe lá, porque as batidas eram descompassadas. Eu gostava de te decifrar, morria de curiosidade sobre a quantidade de vezes que você penteava o cabelo, 8 vezes – cabelos abertos ao meio, 4 escovadas em cada lado e um leve tapa na franja e pronto, estava do jeito que você gostava. Me perguntava se a quantidade de vezes era superstição, algo contado, programado e se alguma vez tinha passado das 8 vezes... Aprendia te observando sobre a pessoa que queria ao meu lado. Por mais louco que seja, era lindo te ver franzindo a sobrancelha a procura de algo, como seus óculos que após uma busca em toda a casa você encontrava em seu rosto... Eu, boba, só ria... 

É, teu jeito era desenhado pra mim. Teu cafuné me dava os melhores afagos, teu abraço forte, cheio, intenso e seguro me desmontava... Ficava molinha. Me sentia voar quando andávamos de mãos dadas, não era só meu coração que flutuava, disso eu tinha certeza. Você me deu a responsabilidade de amar alguém sem ter a necessidade de falar, aprendi que minhas atitudes falavam mais alto do que um EU TE AMO pode dizer. Meu coração contraditório denuncia sempre, nunca me deixa calar completamente coisas além dessas três palavras mágicas, mas ele é o único cúmplice que permito falar por mim. Talvez dizer um EU TE AMO requer calar e sentir, nem todo sentimento verdadeiro será limitado em poucas palavras, por isso que quando te vejo meus olhos brilham (é assim que eles dizem "eu te amo"), toda vez que te sinto minha pele arrepia (é assim que meu corpo diz "eu te amo"), quando te encontro minhas pernas tremem (assim elas dizem "eu te amo"), quando te beijo, te abraço e meu coração parece em disritmia e tudo isso só pode ser amor percorrendo em meu sangue. 

Sensações minhas, mas que no fundo são todas suas...E você não sabe. Ou melhor, sabe! Não sou egoísta, posso não falar da forma propriamente dita, mas cada vez que te beijo quando adormece, cubro seus pés fora do lençol, ou quando puxas a coberta mais para o teu lado e me permito ficar no frio da noite só para não te acordar na tentativa de trazer a coberta pra mim, é minha forma de dizer que te amo. Assim como também acontece quando ativo lembretes que não são meus em meu celular só para que você não perca nada de importante, também estou te dizendo que te amo. É esse meu cuidar de ti que reflete um amor em mim. Te ter é te amar e isso eu não sei mais negar. Você me tem e sente o amor em nós. Pra que falar mais?

6 comentários:

  1. Perfeito Anna! Amor que se demonstra em atitudes...precisamos disso em doses cavalares, sempre! Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Diego! ☺️
      Precisamos do amor para sempre emanar mais amor.

      Excluir
  2. Perfeito Anna! Amor que se demonstra em atitudes...precisamos disso em doses cavalares, sempre! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Que coisa mais linda, Anna!!! Terminei de ler o texto sorrindo na lembrança das vezes que o amor me bateu à porta (e eu permiti entrar). Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Vitor! 😀
      Coisa boa são esses sorrisos que o coração dá através da boca, não é?

      Excluir
  4. "Talvez dizer um EU TE AMO requer calar e sentir, nem todo sentimento verdadeiro será limitado em poucas palavras" dá para imprimir e colar no mural da realidade? Que texto! ♥

    ResponderExcluir