O amor é brega. E quem não é?

terça-feira, 15 de março de 2016

DE MEIOS JÁ BASTA EU, QUERO É UM AMOR INTEIRO


Fala sério, de meios já basta a gente que nasce pela metade e tem que ir se preenchendo ao longo dos anos. Preguiça de amores incompletos, de gente que vem para importunar e não preenche a coisa toda direito. Amor não é paixão, paixão até dá para aturar com falta de complexidade. Quero é amor inteiro, daquele de tirar o fôlego. Daquele que não é preciso ter medo de se jogar com tudo porque a pessoa não é tão rasa assim. Daquele tipo que é profundo, sem essa besteira de meios termos. 

Não sei me dar pela metade, eu transbordo. Causo tsunami mesmo, sou a espuminha da coca-cola que sobe pelo copo e te faz se desesperar para não deixar escapar nem um pouquinho. Sem essa de só se entregar, o negócio tem que ter reciprocidade. Tem a ver com saber merecer tanto quanto aprender a se doar. Ando preguiçosa para qualquer semi sorriso, cansada de pessoas mornas ou diálogos frouxos. A questão é realmente essa: não suporto nada que equivalha a "quases".

Ou é ou não é. O entremeio não me satisfaz. Não me doo pela metade e por isso exijo um amor inteiro. Um amor que não hesite em se entregar, um amor que seja livre de receios. Daquele tipo que a gente confia de olhos fechados, suspira sem medo e prende o olhar sem ter vergonha da troca singular de energia boa que vem de dentro. Não me entrego em pedaços, então também quero alguém completo.

Cansei de me iludir com relações mais ou menos, perdi a paciência para conversas sem sal e beijos tão sem açúcar. Quero uma pessoa que abrace apertado, que promova um encontro de almas sedentas por uma conexão invisível. Quero alguém que saiba o que quer e o que não quer. Não essa gente que nem opinião formada sobre chuva ou sol tem. 

Alguém que escolha o filme num domingo monótono e me deixe escolher o sabor da pipoca para equilibrar, que não tenha medo de entrelaçar os dedos das mãos e não sinta vergonha da minha cara amassada numa maldita segunda de manhã. Alguém que conte como foi o dia sem esconder nada, que não se preocupe tanto com besteiras. Uma pessoa que não sinta vergonha de dizer o que sente, que saiba o que eu sinto e que faça do ciúme um ato saudável nas brincadeiras do dia-a-dia. 

Ou se entrega ao todo ou nem chega tão perto, não quero alguém pela metade. Quero amores inteiros, completos, complexos. Não sei ser a outra parte de nenhuma laranja, abacaxi ou melancia. Se for para ser mais ou menos, que nem chegue a ser.

12 comentários:

  1. Porque ser inteira é o que há. Metades nunca inspirarão um poema.
    Texto lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, por mais pessoas inteiras! Muito obrigada Erica! ♥

      Excluir
  2. que texto mais lindo (LINDO!) <3 você falou tudo que eu sinto, mas não consigo colocar pra fora na hora de ~~explicar (: amei *-*
    beijos :*
    http://memorialices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz por ter gostado, muito obrigada! ♥

      Excluir
  3. Que texto maravilhosoooo!!! Isso mesmo, nada de amores pela metade... " Quero amor é inteiro, daqueles de tirar o fôlego. " Frase da vida!

    Blog Luanne Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada e que bom que gostou do texto, fico feliz! ♥

      Excluir
  4. Amei esse texto.
    Perfeito <3
    Você escreve super bem, continue assim sempre.
    Beijos lindona.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que gostou Vanessa!
      Muito obrigada mesmo, de coração! ♥

      Excluir
  5. Há que texto maravilhoso.
    Mas com você não poderia ser diferente. <3

    ResponderExcluir