O amor é brega. E quem não é?

segunda-feira, 7 de março de 2016

CETIRIZINA

Você tem o jeito de me conter.
Você é a cura da febre e meu ponto final.
É diamante e lixo.

Tudo que não presta na maior certeza que já vi.
Você e esse seu modo de evitar o salto.
Você é a droga, o vício e o soco.
É você quem salva os dias de chuva, a falta de dinheiro e de perspectiva.

Você é a sorte.

Não vá.

Eu prometo manter o controle e preparar o café com menos açúcar. Você sabe que todas coisas ruins vão começar a surgir no momento seguinte que você abrir os olhos e largar a minha mão.
Não somos muita coisa separados. Você sabe disso.

Eu tenho o jeito de te empurrar.
Eu sou sua doença e a primeira frase.
Insubstituível e descartável.

Tudo que não presta e a maior questionador que já viu.
Eu e a minha forma de encorajar o pulo.
Seu remédio, vícios e vômitos.
Sou eu quem rouba seus dias, sua energia e tira todo tipo de certeza.

Eu sou o azar.

Eu não irei.

9 comentários:

  1. Agridoce o texto. Incrível demais! Parabéns e bem-vindo ao time. Não poderíamos ter feito escolha melhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.

      A postos! Vou manter a toada, chefe!

      Excluir
  2. Agridoce o texto. Incrível demais! Parabéns e bem-vindo ao time. Não poderíamos ter feito escolha melhor!

    ResponderExcluir
  3. Sem palavras... É impressionante e envolvente a forma que descreve a "posição" de cada um na perspectiva de um :)

    ResponderExcluir